segunda-feira, 11 de maio de 2009

Impunidade

Pois é, quando os poderosos podem roubar milhões na total impunidade e desculpam-se com campanhas negras, quando não se fica preso mesmo quando se é apanhado a matar e se fica em preventiva pelo roubo de um telemóvel, quando a polícia é extremamente corajosa contra os cidadãos e covarde perante os delinquentes (infelizmente neste caso ainda criticada pela esquerda, onde me incluo).

Do que é que se estava à espera? Esperemos que não surjam outras belas vistas.

Sim, espero pelo momento em que esta carneirada em que se transformou o meu povo se revolte, mas que saiba quais são os responsáveis pela sua situação (primeiro que tudo eles próprios como é natural a qualquer carneiro), pois dói-me esta revolta das máfias, pequenas e grandes máfias.

Tive uma juventude pobre, com muitas dificuldades mas nunca me passou pela cabeça que a solução fosse o crime e não era por medo da polícia, era pelos princípios que um pai operário me transmitiu, hoje choca-me ouvir PCP e BE fazerem, nesta altura, o discurso dos problemas sociais, que deve ser sempre lembrado, mas que nestas situações aparece como desculpabilizante. Esta gente não está a roubar e matar para comer. Esta gente está a roubar e a destruir bens de gente honesta e trabalhadora e que quase sempre está em maiores dificuldades do que eles.

A esquerda deve ter coragem de criticar a polícia quando esta tem que ser criticada, mas saber dar o apoio quando deve ser dado, a polícia foi atacada por criminosos e ai não tenho dúvidas de que lado estou e não olho a cor da pele nem dos criminosos nem da polícia.

1 comentário:

Emigrante disse...

Não te conheço CICUTA
Até duvido que tenhamos muitos pontos de contacto nas nossas ideologias...
Mas temos de certeza nos nossos princípios.
Há muito tempo que as ideologias não me fazem grande sentido, porque quem as pratica, ou não as entende, ou as deturpa.
Assim, fico-me pelos purismo dos princípios.
Estou inteiramente contigo nesta análise.

Teresa